OpenSocial e orkut

O Google anunciou no começo da semana o OpenSocial, uma API para desenvolvimento de aplicações de redes sociais. Algo parecido com o que já existe com o Facebook. As principais diferenças com esse estão na imensa integração – o OpenSocial conversa com myspace, orkut e dezenas de outras redes – e a facilidade – e nada do FBML – linguagem criada pelo Facebook para criação de suas aplicações. O OpenSocial simplesmente conversa com Javascript, HTML e CSS. Nada de novo.

No orkut já começaram a aparecer as primeiras novidades. No endereço sandbox.orkut.com tem-se o que deve ser a próxima versão da rede social, com a possibilidade de adicionar aplicações – como no Facebook.

Eu já comecei a desenvolver com essas possibilidades, entretanto existem algumas barreiras, sendo a principal delas a falta de uma documentação mais completa. Já existe uma interessante lista de discussão e uma meia dúzia de comunidades sobre o assunto, dentre elas, uma bem interessante mantida pelo Fabricio Zuardi e já com uma lista de aplicações.

 

Extensão melhora usabilidade em sites

Uma extensão que venho utilizando no Firefox ultimamente é a Stylish. Ela permite carregar folhas de estilo personalizadas dos sites, algo parecido com o Greasemonkey faz. Aliás, quem não possui a Stylish instalada pode usar o Greasemonkey para personalizar as páginas.

Você entra no site userstyles.org e pega suas personalizações favoritas. Estou usando, por exemplo, para o Gmail uma personalização que aumenta os botões da interface e cria mouse over em vários elementos e outra que modifica o ícone de arquivo anexado genérico para o ícone certo.

Parece geek demais, mas é bem útil!

 

Estatísticas

Quem não estiver satisfeito com o Webalizer, Google Analytics, Awstats e cia, pode instalar o Slimstat. Instalei no domingo no meu servidor e achei muito bacana. Traz referências de formas bem completas e para (quase) tudo oferece um feed.

(Graças a esse sistema eu descobri que, se você digita “comendo um coelho” no Google, meu site aparece em 3º lugar)

 

O jeito Google-Apple de projetar

Todo desenvolvedor, projetista ou designer de interfaces deveria usar Mac OS. Bem, isso não é uma propaganda para a Apple, mas sim uma crítica a procedimentação e burocratização da tecnologia.

Dizem que a informática veio para resolver os problemas que apareceram depois que ela surgiu. Bem, não é bem assim. Com base no que vivo no meu dia-a-dia e no meu trabalho no serviço público, posso dizer que a informatização de processos manuais só trouxe agilidade (aliás, acho que todo mundo pensa assim). Só que o que devo pontuar é que nem sempre essa informatização vem de forma didática.

É aí que vejo um case de sucesso. O Mac OS é simples e cumpre o que promete. Sem muitas perguntas, sem muitos botões e tudo isso de forma bem clean, o que não deixa o usuário em dúvida na utilização do sistema.

É dessa água que os desenvolvedores devem beber: a água da simplicidade. Levando isso para a web, basta observamos o Google. A mesma boa experiência usuário-máquina ocorre com os sites da turma da Larry Page. Formulários com poucos campos (o orkut é uma excessão, risos), telas simplificadads e uma boa integração entre sistemas.

Da observação desses cases, percebemos que poucas coisas permitem uma melhora significativa nessa interação entre homem e máquina. Botões de enviar destacados, formulários bem arquitetados (e onde o TAB funciona) e telas de erro mais amigas podem garantir o sucesso de sua aplicação!