2 alternativas ao delicious

Na última semana o Yahoo anunciou a demissão de centenas de funcionários e o fechamento de alguns serviços, incluindo o del.icio.us delicious, que uso desde muito tempo. Todo mundo ficou surpreso com isso, e já inclusive existem rumores que o serviço continuará, entretanto, a busca para uma alternativa ao delicious começou. Esse post apresenta um mini-review de 2 opções grátis.

markr.net

Opção super-minimalista, o markr é a melhor opção se você procura algo simples. Ele estava com alguns problemas de importação dos favoritos do delicious (encoding incorretos, tamanho do título do favorito e a importação que não recuperava a data dos favoritos), entretanto mandei uma mensagem pro desenvolvedor e ele prontamente corrigiu os erros encontrados.

markr

Zootool

Enquanto o markr.net mantia seus problemas, testei o Zootool. Ele tem uma interface maravilhosa e integração com vários serviços, como Twitter, Facebook e Tumblr. O conteúdo salvo no Zootool pode ser automaticamente compartilhada em outras redes sociais.

zootool

Conclusões

Ambas ferramentas são muito simples de usar, importam o conteúdo do delicious e possuem bookmarklets para adição de links. O Zootool é bem completo, mas por enquanto vou utilizar o markr.net pelo seu minimalismo em apenas organizar seus favoritos.

A rede social de notícias Busk.com lançou o Buskmark, para você também salvar o que é importante no aplicativo. No post onde o TechCrunch levantou o rumor sobre o fechamento do delicious, existem diversos comentários com outras alternativas.

 

Nasceu: autosimulado

autosimulado é um aplicativo web com simulados de provas de legislação, aquelas que você faz quando vai tirar sua carteira de motorista. A inspiração para o autosimulado apareceu quando minha namorada foi tirar carteira, e ao tentar ajudá-la procurando provas, só encontrei coisas chatas, feias e sem usabilidade. Provas do Detran metem medo em muita gente – eu mesmo só passei da segunda tentativa – e ser simples, rápido, inteligente e grátis é o objetivo do site, que nasceu sobre a concepção do Getting Real e da integração contínua.

autosimulado

 

Google em 2001

Como parte das comemorações dos 10 anos, o Google criou uma busca que indexa tudo como era 2001. Um verdadeiro túnel do tempo. Bem interessante.

 

OpenSocial e orkut

O Google anunciou no começo da semana o OpenSocial, uma API para desenvolvimento de aplicações de redes sociais. Algo parecido com o que já existe com o Facebook. As principais diferenças com esse estão na imensa integração – o OpenSocial conversa com myspace, orkut e dezenas de outras redes – e a facilidade – e nada do FBML – linguagem criada pelo Facebook para criação de suas aplicações. O OpenSocial simplesmente conversa com Javascript, HTML e CSS. Nada de novo.

No orkut já começaram a aparecer as primeiras novidades. No endereço sandbox.orkut.com tem-se o que deve ser a próxima versão da rede social, com a possibilidade de adicionar aplicações – como no Facebook.

Eu já comecei a desenvolver com essas possibilidades, entretanto existem algumas barreiras, sendo a principal delas a falta de uma documentação mais completa. Já existe uma interessante lista de discussão e uma meia dúzia de comunidades sobre o assunto, dentre elas, uma bem interessante mantida pelo Fabricio Zuardi e já com uma lista de aplicações.

 

Pownce, para enviar coisas

O Pownce é mais uma rede social com nome estranho, mas com um diferencial: Kevin Rose – para quem não sabe, o homem por trás do Digg.
Essas ‘coisas’ que você envia para o site podem ser arquivos, links, músicas e fotos. Criei minha conta no serviço e estou achando bem bacana. Com uma interface bem clean – como todas as outras aplicações web 2.0 – o Pownce permite envio de arquivos de até 100MB e possui um cliente para desktop para facilitar a interação com o serviço.

Nota: para utilizar o serviço, é necessário convite. Ainda tenho seis :)

 

Resultado da Pesquisa sobre Mac Users

No último dia 16 lancei uma pesquisa para conhecer o perfil dos usuários de Macintosh no Brasil. A intenção dessa pesquisa, além do óbvio, é servir de background para o lançamento de um novo serviço sobre Macs no Brasil.

Para a divulgação da pesquisa, convoquei usuários de vários fóruns, comunidades no orkut e pedi a vários blogueiros e vários sites uma nota sobre a pesquisa. Assim, depois de um tempo, 490 pessoas responderam as 14 questões do questionário.

Obrigado a todo mundo que respondeu a pesquisa.
Os resultados surpreenderam. Vamos lá.

Read more

 

Site cooperativo de conteúdo em Flash

FlashDen

Encontrei um site muito interessante de resources em Flash: o FlashDen. O conteúdo dos arquivos é ‘vendido’ e quem é usuário pode colaborar ‘vendendo’ seus arquivos ou comprando créditos (em dólar via Paypal) para serem usados no site. Isso é o que garante que a aplicação tenha arquivos de qualidade.

 

Twitter

Às vezes vejo que aplicações 2.0 são uma ótima forma de perder tempo :)
O Twitter é um projeto em Rails com apenas uma pergunta: What are you doing? Parece tosco, mas é hiper-interessante acompanhar as respostas alheiras.

Falando em projetos em Rails, esqueci de falar do orangotag.com, feito pelo Spiceee. O site é um mediatracker para que seus usuários indiquem suas séries.

Meu Twitter:

 

Pesquisa sobre Mac Users

Lancei uma pesquisa para conhecer o perfil do Mac User brasileiro. Isso tudo é para aquele projeto 2.0 que estou trabalhando que fala de Macintoshs. Responder é rápido, são apenas 14 questões e o resultado da pesquisa será divulgada aqui no site.

[upgrade 19/05] Obrigado a todo mundo que está votando. E obrigado ao Caparica, ao MacMagazine e ao AppleMania.info que estão divulgando a pesquisa :)

[upgrade 24/05] 469 pessoas já responderam a pesquisa. E ainda dá tempo de responder!

P.S.: Essa é, de quebra, a primeira aplicação em Rails minha que está no ar e vai servir de pré-análise dos serviços da Dreamhost (que muitos temem não ser boa para RoR).

 

Supermercado 2.0

Cotonetes etiquetados como Better audio; maçãs, como del.icio.us; papel higiênico, como shit; leites cheio de comentários de usuários e até um ovo com RSS. Como seria um Supermercado 2.0?

 

O que INSS e orkut tem em comum

Além de banco de dados gigantescos, e muita informação sobre os brasileiros (cada um do seu jeito) INSS e orkut possuem algo mais em comum, e se completam em um trabalho interessante. O site do Google possui uma movimentada comunidade sobre a Previdência Social, onde servidores públicos (eu sou um deles), em seu tempo livre – já que o orkut é bloqueado no órgão – respondem dúvidas sobre o Instituto. Essa é uma forma interessante encontrada para diminuir o abismo que existe entre o contribuinte a legislação previdenciária, que embora pareça, não é um bicho de sete cabeças.

 

Info lança pseudoconcurso para sites web2.0

Info Exame, aquela revista de TI que quer sempre se manter antenada em sua área de atuação lançou seu concurso para eleger as melhores aplicações web2.0 do Brasil.

– O concurso está aberto a empresas de todos os segmentos, programadores independentes, grupos universitários e cooperativas de programadores.

– Cada participante pode inscrever, no máximo, três serviços Web 2.0

– Serão aceitos somente serviços criados no idioma português e em funcionamento.

– Não serão aceitas inscrições de funcionários ou parentes de funcionários ou acionistas da Editora Abril

– As inscrições serão encerradas no dia 31 de janeiro de 2007

– Serviços sem o cumprimento das condições acima serão automaticamente desclassificadas do concurso.

– Os serviços serão avaliados pela equipe de INFO e os vencedores publicados na edição de março

– Serão aceitos apenas serviços sob a responsabilidade do autor da inscrição. Ao inscrever um serviço, o autor assume toda a responsabilidade por questões de direitos autorais, intelectuais e de propriedade vinculados a ele.

– A inscrição no Concurso INFO de Web 2.0 implica a aceitação de todas as suas regras.

Se estiver de acordo com as regras, clique aqui para preencher o formulário.

O regularmento chega a ser pitoresco, a meu ver. As melhores aplicações serão julgadas pela equipe. Julgamento formado por meia dúzia de pessoas não é nada web2.0, que trás como mantra a participação do usuário. Seria mais coerente que os leitores escolhessem que são os melhores.
Outro ponto que me chamou a atenção é a falta de um prêmio descente. Se é um concurso deveria ter prêmio não?
Aparecer numa edição não é mais que o óbvio. Uma aplicação de qualidade vai sempre aparecer em revistas, jornais, outros sites e cia.
Para completar, o cadastro da inscrição abre em uma popup. Nada mal para uma revista de tecnologia que quer se mostrar antenada em novas tecnologias. Acho que eles ainda não perceberam que eu não gosto de popups.

 

Venda 2.0

Certa vez, descobri, conversando com alguns autores, que somente de 6 a 10% do valor de um livro é remetido ao autor. A saída para uma melhor valorização do autor seria formas alternativas de distribuição do conteúdo. PDF, por exemplo. A oreilly.com já está adotando essa política, que lembro já ter visto antes.

 

Web2.Oh

Web2.0 é um termo da moda. Hoje, não existem mais sites “em construção” mas sim sites “beta“, “alpha” ou até mesmo “gamma“. Mas o que significa Web2.0?

O rótulo “Web2.0” surgiu em 2005, pelas mãos do Tim O’Reilly. A grosso modo, significa reforçar o conceito social da Internet, que seria de troca de informações e colaboração dos usuários, nos mais diversos serviços. É a exaltação da simplicidade e a glorificação do conteúdo. Navegar não é mais um tormento e tudo gira em torno do usuário e de seus hábitos. Mas, e o conteúdo? O conteúdo chega a mim e não existe mais a via crucis da busca, porque notícias, fotos e mensagens chegam por RSS.

Repito, a simplicidade e o conteúdo estão em primeiro lugar. Isso significa que algumas coisas da tal “web1.0” irão desaparecer, pela simples teoria da seleção natural: O que é bom sobrevive e o que é ruim morre (ou melhor, não terá visita alguma). Hotsites inteiros em Flash, confusos, com Splash Screens são algo que tendem a desaparecer. Hoje, mais do que nunca, não quero mais aprender a navegar na Internet. A simplicidade dos recursos do HTML, atrelados ao poder do CSS e do Javascript criam um novo poder ao usuário. Exemplos: Gmail – acessível do meu celular, em qualquer browser, sem nenhum plugin adicional e com uma “cara sem-graça”, para alguns designers. É essa exaltação da simplicidade que o faz funcional. Webdesign não significa repetir na Internet uma experiência do design gráfico.

Antes e depois da Web2.0

DoubleClick » Google AdSense
Akamai » BitTorrent
mp3.com » Napster
Britannica Online » Wikipedia
content management systems » wikis
domain name speculation » search engine optimization
directories (taxonomy) » tagging (“folksonomy”)
Mais comparações no artigo What Is Web 2.0

Importantes observações a serem feitas das informações acima

Publicidade: saem os anúncios coloridos e entram links HTML. Os tais links do AdSense conseguem ser muito mais eficientes, já que variam, de acordo com o contexto da página.
Downloads: saem sites e entram protocolos. BitTorrent, Napster e companhia provam que é a união quem a faz a força.
Enciclopédia e Gerenciadores de Conteúdo: novamente um conceito de compartilhamento. Usuários como eu e você definem o que está no Wikipedia, a maior enciclopédia do mundo.
Especulação de domínios: domínios chegam a custar milhões de dólares. Hoje, uma política de otimização em sites de busca garante um mesmo retorno.
Diretórios versus Etiquetamento: O etiquetamento é uma forma mais eficiente de classificar algum conteúdo. Exemplo: novamente Gmail. Nesse webmail, você não fica preso ao conceito de Pastas. Você pode atribuir várias etiquetas para uma mesma mensagem. Consequência? Melhor organização e agilidade para encontrar informações.

Well, para terminar basta resumir o que todo Web2.0 é: uma aplicação online, gratuita, de alta qualidade e que simplesmente coloca o conteúdo em primeiro lugar. Exemplos estão em todo lugar.

[tags]web 2.0, article, taxonomy, folksonomy, ria[/tags]

 

Google Checkout

O mais novo produto do Google é o Checkout. O serviço é uma forma fácil de comprar produtos pela Internet, sem ser incomodado por spams e múltiplos cadastros em várias lojas. Como funciona? Veja o vídeo abaixo:

Agora resta saber o que eles vão inventar. Já fizeram email, planilha online, comunicador instantâneo, servidor de páginas web, editor de texto online e nem me lembro mais do quê!