E se motoristas fossem contratados da mesma maneira que programadores?

Não lembro de onde veio, mas é engraçadinho:

Cargo: Motorista.

Exigências do trabalho: Competência profissional em condução de veículos leves como carros e pesados como ônibus e caminhões, ônibus articulados, bondes, metrô, tratores, escavadoras e pás carregadoras, e tanques pesados atualmente em uso pelos países da OTAN.

Habilidades em Rali e de condução extremas são obrigatórios!
Experiência na Fórmula-1 é um diferencial.

Conhecimento e experiência em reparação de motores de pistão e rotor, transmissões automáticas e manuais, sistemas de ignição, computador de bordo, ABS, ABD, GPS e sistemas de áudio automotivo dos fabricantes conhecidos mundialmente – obrigatória!

Experiência em tarefas de pintura e funilaria de automóveis é um diferencial.

Os candidatos devem ser certificados pela BMW, General Motors e Bosch, mas não por mais de dois anos.

Compensação: R$ 15 – R$ 20/hora, dependendo do resultado da entrevista.

Exigências da instrução: Bacharel em Engenharia Mecânica.

 

Como escrever bem

Considero pertinente a divulgação das dicas a seguir. Fica a dica

1. Vc. deve evitar abrev., etc.
2. Desnecessário faz-se empregar estilo de escrita demasiadamente rebuscado, segundo deve ser do conhecimento inexorável dos copidesques. Tal prática advém de esmero excessivo que beira o exibicionismo narcisístico.
3. Anule aliterações altamente abusivas.
4. “não esqueça das maiúsculas”, como já dizia dona loreta, minha professora lá no colégio alexandre de gusmão, no ipiranga.
5. Evite lugares-comuns assim como o diabo foge da cruz.
7. Estrangeirismos estão out; palavras de origem portuguesa estão in.
8. Chute o balde no emprego de gíria, mesmo que sejam maneiras, tá ligado?
9. Palavras de baixo calão podem transformar seu texto numa merda.
10. Nunca generalize: generalizar, em todas as situações, sempre é um erro.
11. Evite repetir a mesma palavra, pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida.
12. Não abuse das citações. Como costuma dizer meu amigo: “Quem cita os outros não tem idéias próprias”.
13. Frases incompletas podem causar
14. Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes; isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez. Em outras palavras, não fique repetindo a mesma idéia.
15. Seja mais ou menos específico.
16. Frases com apenas uma palavra? Jamais!
17. Em escrevendo, não se esqueça de estar evitando o gerúndio.
18. A voz passiva deve ser evitada.
19. Use a pontuação corretamente o ponto e a vírgula especialmente será que ninguém sabe mais usar o sinal de interrogação
20. Quem precisa de perguntas retóricas?
21. Conforme recomenda a A.G.O.P., nunca use siglas desconhecidas.
22. Exagerar é cem bilhões de vezes pior do que a moderação.
23. Evite mesóclises. Repita comigo: “mesóclises: evitá-las-ei!”
24. Não abuse das exclamações! Nunca! Seu texto fica horrível!
25. Evite frases exageradamente longas, pois estas dificultam a compreensão da idéia contida nelas, e, concomitantemente, por conterem mais de uma idéia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçando, desta forma, o pobre leitor a separá-la em seus componentes diversos, de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular através do uso de frases mais curtas.
26. Cuidado com a hortografia, para não estrupar a língüa portuguêza.
27. Seja incisivo e coerente, ou não.

Autor desconhecido.

 

Fala Sonia

Fala Sonia (video abaixo) é talvez o maior sucesso do Youtube depois do Tapa na Pantera, aquele da velhinha que não é viciada mas fuma maconha todo dia – a 30 anos. Fala Sonia é um filme de uma senhora que não consegue pronunciar Youtube. Parece idiota, mas o buzz foi tanto que já há mais de quatrocentas mil visualizações. A Folha inclusive quis saber a opinião dos leitores. Dei meu pitaco (que está entre as opiniões dos leitores):

Fala Sonia é sinal de uma revolução do usuário, o usuário 2.0. O usuário 2.0 cria um mundo só seu, com suas particulares e preferências. O vídeo divide no Youtube o mesmo espaço de um clipe de minha banda favorita ou uma entrevista do Lula e serve para mostrar que, de consumidores passivos, viramos editores de conteúdo [hiper]ativos.

Ah, a Folha encontrou a tal Sonia. Ela gostou da exposição e dá até autógrafo nas ruas. Que sucesso!

 

Supermercado 2.0

Cotonetes etiquetados como Better audio; maçãs, como del.icio.us; papel higiênico, como shit; leites cheio de comentários de usuários e até um ovo com RSS. Como seria um Supermercado 2.0?

 

Listas de discussões e suas respostas

Assinar listas é uma ótima forma de aprendizado mas as discussões podem se tornar inválidas em alguns momentos. Então, fica a pergunta: Quantas pessoas que assinam listas na internet você precisa para trocar uma lâmpada?

Resposta: 1332 sendo:

1 para trocar a lâmpada e avisar na lista que a lâmpada foi trocada
14 para escrever experiências semelhantes e novas formas de trocar uma lâmpada
7 para advertir sobre os riscos de se trocar uma lâmpada
27 para apontar erros de ortografia e gramática nos mails sobre a troca de lâmpadas
53 para atacar os que corrigiram os erros de gramática e ortografia
156 para escrever ao owner da lista reclamando da quantidade de sobre o assunto e dizendo que ele é inadequado a lista
41 para corrigir a ortografia nos mails atacando quem corrige a ortografia
109 para dizer que a lista não é sobre troca de lâmpadas e sugerindo criação de uma lista para isto
111 para defender que todos usam lâmpadas, e assim esta mensagem é relevante para a lista
306 para debater sobre os melhores métodos para trocar lâmpadas e melhores marcas de lâmpadas
27 para postar URLs onde se pode achar exemplos de diferentes lâmpadas
103 para reclamar que a postagem simultânea de mails sobre troca de lâmpadas para as listas de gramática, ortografia e pontuação deve parar
14 para reclamar que as URLs estavam erradas e para postar as URLs corretas
3 para escrever sobre links sobre lâmpadas que eles acharam nas páginas que falam do assunto da lista e assim tornam lâmpadas um assunto da lista
33 para juntar todos os mails sobre o assunto, repeti-los todos (incluindo os footers) e acrescentar “Eu também”
31 para escrever avisando que estão saindo da lista porque eles aguentam mais mails sobre troca de lâmpadas
4 para sugerir escrever um texto sobre troca de lâmpadas
1 para propor uma nova lista sobre troca de lâmpadas
47 para dizer que a lista dos fisicos sobre fusão a frio é o lugar mais adequado a esta discussão
90 para criticar os mails que repetem tudo para acrescentar “Eu também”
43 para apoiar a criação de uma lista sobre lâmpadas
110 para repetir todos os mails de criticas sobre sobre os mails que repetem tudo para colocar “Eu também” e colocar no final “Eu também acho um absurdo”
1 para ser o owner da lista e modera-lá agora que ele acabou de ver um mail dizendo “eu tb quero lanpadas de fissao a friu na lista”

 

Classificando Analistas

Nas grandes empresas (Bradesco, Votorantim, Sony, BrasilTelecom, GM ou qualquer empresa que tenha um grande numero de pessoal de tecnologia) rola o que eles chamam de carreira em Y. Essa parada foi criada para que os profissionais que não quiserem passar para a área administrativa possam continuar subindo na empresa na área técnica, e ganhando melhores salários.
Porém, todo mundo reclama que é dificílimo ser promovido. Então alguém criou o guia de como ser promovido na carreira em Y. O indivíduo começa como Analista 1 e pode ser até Analista 8.

Os Analistas 1 são comumente conhecidos como Analistas baby, ou seja, um pouco mais que estagiários. Condições necessárias para vocês virarem Analistas 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8:
Read more

 

Sorvete = Vaca

Atenção: o trópico a seguir é uma piada nerd tosca.
Depois de estudar um semestre inteiro sobre derivadas e integrais:

O Leite vem da Vaca.
O Leite é Integral.
Logo o Leite é Integral da Vaca.
O Sorvete é um Derivado do Leite.
Logo o Sorvete é um Derivado da Integral da Vaca.
Então, pelo Teorema Fundamental do Cálculo conclui-se que “Sorvete = Vaca”!
Portanto, chupar um sorvete e lamber uma vaca são duas formar de se fazer a mesma coisa.

 

Verdades sobre o Blog do Chuck Norris

Chuck NorrisChuck Norris clica em seus próprios links patrocinados do Adsense. E o Google paga por esses cliques
O algoritmo do Technorati se basea na avaliação do blogroll do Chuck Norris
O pagerank do blog do Chuck Norris é 15 em 10
No Bloglines, o blog do Chuck Norris aparece em todas as listas de “Related Feeds”
O Akismet do blog do Chuck Norris não marca nenhum spam a vários anos
O digg e o del.icio.us só funcionam sem links para o blog do Chuck Norris. Senão não fazia sentido existirem esses sites
O blog do Chuck Norris abre em 3 segundos. Em um modem de 28kbps. E ainda carrega todas as imagens bmp inclusas
“Por que o céu é azul?” Procure no Google. A primeira resposta está no blog do Chuck Norris
Chuck Norris tem conta Pro no Flickr. Validade? Infinita
Para Chuck Norris, não existe hack de PNG transparente no IE. Nem CSS Box Model no IE 5
O blog do Chuck Norris não tem trolls. Eles são todos esmagados quando clicam no botão “Comentar” do post
Chuck Norris acessa o Internet Banking pelo IE. E não tem nem atualização nem Service Pack algum instalado
O Emule do Chuck Norris não tem ID alta. Tem ID infinita
Chuck Norris não recebe SPAM em seu email com o assunto “Aumente seu pênis”

 

Novos paradigmas da Programação Moderna

Essa Desciclopédia é uma prosa! Novos paradigmas da Programação Moderna.

Programação orientada ao Atrito

É a técnica de se chegar ao código necessário para atender a um objetivo através da tentativa e erro. Desta maneira não é necessário analisar o que deve ser feito nem ficar lendo centenas de manuais para entender como funciona uma API. Vá fuçando, usando um método aqui outro ali, passando diferentes valores, até que milagrosamente funcione. É uma extensão da Programação Orientada à Gambiarras, mas não exige que a gambiarra seja planejada. É como se a gambiarra surgisse expontaneamente. Exige grande senioridade para que seja aplicada sem que o atrito cause danos à integridade profissional do desenvolvedor.

Programação orientada ao IE

É toda programação em que se utiliza o IE. Normalmente desastres naturais acontecem devido a utilização desse modelo de programação.
A programação orientada à IE (Microsoft Internet Explorer) é o que existe de mais avançado hoje em dia em termos de web2.0
Muitas pessoas se preocupam muito em ficar testando seus sites no Firefox e Ópera, isso é besteira. Pra quê testar em outros navegadores se o IE domina o mercado e já vem monopolizado junto com seu Windows ?? Além disso a maioria das pessoas gosta de navegar no IE porque ele é um browser seguro, sem bugs e brechas de segurança e e suporta os últimos padrões estipulados pelo W3C.

Programação orientada a gambiarras (a melhor!)

A Programação Orientada a Gambiarras (POG ou WOP – Workaround-oriented programming) é um paradigma de programação de sistemas de software que integra-se perfeitamente a qualquer grande Paradigma de Programação atual e é uma especialidade dos brasileiros.
A Programação Orientada a Gambiarras foi uma evolução natural do uso do Programa Bacalhau dos anos 1.960?80, e vem de uma antiga expressão brasileira, “Para quem é, bacalhau basta” (época em que o peixe seco ainda era barato). Programadores e analistas mais preocupados em usar buzzwords costumam utilizar o termo workaround para impor respeito.

 

Os tipos típicos de uma agência de Internet

O “the flash”

Os “the flash” são um dos tipos mais perigosos. Costumam encantar futuros empregadores, pelos seus feitos além da capacidade humana. Numa época em que o budget é minguado, os salários reduzidos, e os prazos absurdos excedem os limites do realizável, o “the flash” desponta como o
salvador da pátria.
A correção de bugs que os outros fazem em meia hora, ele faz em 5 minutos. O sistema que uma equipe inteira pede uma semana para fazer, ele promete em dois dias.
O site completo com lay-out e tudo, está pronto em menos de um dia. Fantástico.

Toda essa promessa é premiada com um salário acima da média. Mas na realidade, as coisas não correm tão bem assim.
O sistema perfeito feito em dois dias leva um mês para começar a fazer água. As correções de bugs em 5 minutos, geram centenas de outros bugs mais graves ainda, que só serão descobertos dentro de alguns meses. O site completo montado em um dia, se mostra impossível de dar manutenção. Totalmente confuso, seu código fonte está espalhado em centenas de pastas e
arquivos com nomes obscuros como “ent_1_2_nov_32.htm”. Códigos fonte sujos, cheios de “blank.gif” e uma lógica totalmente impenetrável, completam o quadro de horrores.

Ninguém quer ter a maldição de pegar um sistema feito por um “the flash”. O “certinho” sofre porque não consegue entender o código. O “peão de agência” nem tem gabarito técnico para chegar lá. O “overqualified” torce o nariz. Simplesmente diz que não mete a mão em tal cumbuca. Por isso a bomba acaba sobrando sempre para o “tiozinho”. Que faz toda a faxina rangendo os
dentes, é claro.

O problema do “the flash” é que ele é endeusado. No início, os superiores o enxergam como uma pepita de ouro. Só descobrem os danos causados por esse tipo quando o “the flash” já está bem longe – após ser chamado em outra agência para ganhar mais, repetindo todo o ciclo.

Depois de sua saída, os efeitos de sua breve permanência na empresa ainda se fazem sentir por um bom tempo. Mais ou menos como um tsunami numa área sem alarme, ou um acidente de Césio-137.

Read more