DIY: Upgrade de SSD no MacBook Air (e outros MacBooks)

ssdA Transcend é uma empresa que produz SSDs específicos para MacBooks. Comprei para um amigo o kit para o MacBook Air 11′ e ontem fiz o upgrade na máquina.

Antes de comprar o kit você precisa descobrir qual o modelo adequado para o seu Mac, pois há kits para todos os MacBooks (Pro, Air e Retina). Se você tiver dificuldades em encontrar o modelo certo, basta instalar um aplicativo que fará a identificação do hardware. O kit é composto por:

  • SSD
  • Case e parafusos para seu SSD adicional
  • Chaves para abrir o MacBook
  • Cabos, manuais e outros itens

A instalação é simples. Basicamente consiste em:

  1. Colocar o SSD novo no case
  2. Ligar o MacBook em modo de recuperação, para clonar o disco novo com o conteúdo do antigo
  3. Abrir o MacBook com as chaves inclusas
  4. Substituir o SSD e fechar o MacBook
  5. Colocar o SSD antigo no case – com isso você ganha uma mídia externa!

O vídeo abaixo explica o processo didaticamente, não tem como errar. Dependendo do modelo de MacBook, pode ser necessário também desconectar a bateria.



 

Atualizando o MacBook Pro

Estive um mês de férias na Califórnia, com direito a visitas a Cupertino na Apple e a Stanford. Aproveitando minha vinda aos Estados Unidos, resolvi fazer um upgrade na minha máquina, trocando memória RAM, substituindo o HD original por um drive SSD e também trocando o SuperDrive pelo HD original. Esse não é um upgrade inédito, o Fábio Akita já fez e o Rafael Gimenez também.

Porque fazer

  • Porque não tinha grana para comprar um MacBook Air;
  • Porque ainda que tivesse grana para um MacBook Air, não poder fazer trocar memória era algo que me incomodava;
  • Porque abrir Macs é divertido.

Lista de compras

Optei por comprar tudo na Amazon, por ter preços mais baixos. A lista:

  1. 8 GB de RAM: teoricamente seria o máximo suportado pelo MacBook Pro, embora seja possível usar 16 GB
  2. Drive SSD: optei pelo OCZ Vertex 3 por ver muita gente usando em MacBooks semelhantes ao meu
  3. Case para Super Drive: esse case é parecido com o driver externo que a Apple vende para o MacBook Air
  4. Data Doubler: case para acomodar o HD no lugar do antigo drive de CD
  5. Jogo de ferramentas: comprei um kit bem bacana ‘especifico para Macs’
  6. CD ou imagem devidamente montada do instalador do Mac OS.

Como fazer

Antes de abrir a máquina, tenha certeza de que você tem um backup atualizado. O Time Machine é perfeito para isso, pois após instalar o Mac OS no novo disco você pode restaurar sua pasta de usuários e aplicativos instalados no HD antigo.

Para abrir o mac, você vai precisar de uma chave Phillips 00, uma chave T6, e um Spudger, que no meu caso estavam entre as ferramentas do kit. Ao abrir a máquina, a primeira coisa a ser feita é desligar o conector da bateria. Eu não vou entrar em detalhes sobre esse processo, uma vez que recorri ao iFixit. Ele explica didaticamente como trocar os pentes de memória RAM, como substituir o drive de cd por um segundo HD e como trocar o disco rígido.

Após fechar o Mac, é hora de instalar o sistema operacional, usando o cd original ou um pendrive / HD externo com o instalador montado. Para ver o gerenciador de inicialização, segure option imediatamente após ligar o computador. Deverão aparecer a partição que possui o instalador e o seu antigo Macintosh HD. Quando instalar o Mac OS, tenha certeza de que está instalando no disco certo.

A restauração do Time Machine é coisa linda de Deus. As únicas coisas que quebraram aqui foram alguns apps da Adobe e alguns arquivos da pasta /etc, que aparentemente não são restaurados.

 

eCPF no Mac

No meu trabalho preciso usar meu cartão eCPF para acessar um determinado sistema que estamos desenvolvendo. Tenho um cartão eCPF, emitido pelo Banco do Brasil e um leitor de cartões OmniKey 3021 e foi uma grande dor de cabeça configurá-lo no Mac. Não era para ser um problema, uma vez que você precisa apenas de um driver e um módulo para o Firefox.

Driver

O driver do leitor OmniKey pode ser obtido pelo site da Serasa Experian. Além do driver do meu dispositivo, essa página apresenta drivers de outros devices.

Nessa mesma página, copie o Software do Cartão – Safesign. Esse software reconhece o seu cartão e apresenta os dados do certificado, a partir do app tokenadmin.

Observação: tudo nesse site está bem documentado, por isso esse post está resumido :)

Firefox

Para que o Firefox leia seu certificado, será necessário a instalação da biblioteca libcmP11.dylib. Faça o download dessa biblioteca e copie-a para a pasta /Library/cssi. Em seguida abra as preferências do Firefox e escolha: Advanced > Encryption > Security Devices. Clique no botão Load e na tela que se abre informe o caminho do arquivo (/Library/cssi/libcmP11.dylib). Não tem erro, com o cartão plugado na porta USB do Mac, o Firefox conseguirá autenticar utilizando-se o certificado digital. Para testar, você pode usar o eCAC, da Receita Federal.

Nota: o ManéBlog escreveu um post sobre o assunto, que me ajudou no processo.

 

Extensões para o Safari 5

A guerra dos browsers continua: a versão 4 do Firefox já saiu em fase beta – com interface parecida com o Chrome, eu diria – mas o que me motivou escrever esse post foram as extensões do Safari 5. Sim, extensões como as dos outros browser e antes tarde do que nunca. Vamos as preferidas:

 

Rails e cia no Snow Leopard

Fiz uma instalação nova do Snow Leopard no meu MacBook e ao migrar os dados do Time Machine, do Leopard, algumas coisas pararam de funcionar. Resolvi então escrever para complementar meu post anterior sobre o assunto.

Xcode

ANTES DE MAIS NADA, instalei o Xcode. Ele está junto no DVD do Snow Leopard, na pasta de Instalações Opcionais.

Rails

O Snow Leopard já vem com duas versões do Rails já instaladas: 2.2.2 e 1.13.6. Caso queira atualizar seu ambiente:
Read more

 

MacBook e o caso do topcase rachado

Eu era dono de um CrackBook, digo, MacBook com o topcase trincado. Sim, a Apple é quase perfeita, erros de projeto acontecem e muita gente por aí também tinha Mac trincado. Não é falta de cuidado, carrego a máquina em uma luva da Case Logic de Neoprene e o que se percebe é que o problema está nas travas de fechar do display. Começou com um cantinho quebrado e até semana passada ele já estava trincado em quatro lugares. FAIL.

topcase

Pensei eu mesmo comprar um topcase no ebay e trocá-lo eu mesmo, mas deixei de lado a alternativa nerd e resolvi tentar resolver o problemas por vias normais. A 15 dias atrás procurei a Tecmania, autorizada da Apple de Belo Horizonte. Trocaram o topcase mesmo com o MacBook fora da garantia e com um atendimento bem bacana. Funciona assim: você leva a máquina, eles fazem o pedido em São Paulo e em mais ou menos uma semana o topcase chega. Tudo sem custo.

 

Dropbox, backup fácil para Mac, Linux e Windows

O Nando twittou e resolvi conferir a dica: Dropbox é um site de backup totalmente integrado ao sistema operacional seja ele Mac, Linux e Windows. No Mac OS a integração é muito perfeita e utiliza até o Growl para informar modificações em seu backup. Com ele você também pode sincronizar 2 ou mais máquinas e até compartilhar arquivos, como fiz com meus wallpapers. A velocidade é impressionante.

dropbox

O Dropbox tem um plano grátis com 2GB de espaço para armazenamento, mas caso você indicar amigos, seu espaço aumenta progressivamente. Vale a pena experimentar e ficar livre de pendrives ou backups usando webmails.

 

jQuery no Spotlight

Anteriormente eu postei sobre como integrar a documentação do Ruby e do Rails no dicionário do Mac OS, que automaticamente é indexado pelo Spotlight.

jquery_spotlight

A dica de hoje é copiar o ‘dicionário’ do jQuery para a pasta de dicionários do seu usuário (~/Library/Dictionaries) e curtir a documentação do jQuery dentro do Spotlight.

PS.: existe também um aplicativo AIR com a API do jQuery.
PS 2.: jPlanet é um agregador de conteúdo sobre jQuery. Assine o feed!

 

Lançado Safari 4

Andei twitando a respeito do lançamento do Safari 4, lançado ontem, justamente no mesmo dia do aniversário de Steve Jobs.

O browser gerou um mimimi profundo por todo lado e não é por pouco: implementou algumas coisinhas vindas do Chrome, mas tudo de forma bem sofisticada, como tudo que vem de Cupertino.

Safari

O Safari traz o “Top Sites”, como no Chrome, e incorpora o Coverflow para favoritos e itens do histórico. As tabs foram alocadas para a barra de título, assim como o browser do Google. A mudança estranha no início, mas depois de algum tempo você se acostuma. Agora, resta saber se essa moda de aba na barra de título pega em outros aplicativos. Eu particularmente gostei desse minimalismo.

Para Windows, o browser também evoluiu em passos largos, absorvendo a interface do sistema operacional, assim como já faz o Firefox. O Web Inspector do Safari está fantástico e não perde em nada para o Firebug. Para acioná-lo, aperte command + option + i.

Safari

Enfim, Safari 4 rocks.

PS. não deixe de conhecer o Safari Developer Center.
PS 2. a instalação do Safari no Leopard depende da atualização de segurança 2009-001. Antes de instalá-lo, atualize seu felino.

 

Documentação do Rails e Ruby no Spotlight

Essa é uma dica bem interessante: um cara chamado Priit Haamer migrou as documentações do Rails e do Ruby para o dicionário do Mac OS. Como o Spotlight do sistema busca – além de arquivos, emails, músicas e o que for – as entradas do dicionário, você ganha mais uma forma rápida de acesso a documentação de sua linguagem favorita.

 

Resenha: A cabeça de Steve Jobs

Verdade seja dita, Steve Jobs é um mito e mais do que um CEO, ele é o homem a frente da Apple e a frente do seu tempo. O que esperar de uma biografia de alguém que revolucionou a computação moderna, o cinema de animação, o mercado de música e a telefonia? Acabo de ler “A Cabeça de Steve Jobs”, de Leander Kahney e essa obra pode representar muito para nossas vidas, principalmente se você ter as ações e mantras de Jobs como inspiração para seus trabalhos.

Foco

Foco é dizer não. Foco significa especializar naquilo que você é bom e entregar o melhor de si em seus trabalhos. É manter as coisas simples e esquecer o excesso de funções. Não queira dominar o mundo de uma só vez.

Steve Jobs

Despotismo

Alguém tem que dar ordens. Personalidade e alma é fundamental para um negócio, independentemente da espécie. Intrisicamente relacionado com despotismo e foco, simplifique. Não tenha medo de dizer não a opiniões alheiras e tome decisões, inclusive a que aparentam ser as mais simples. Pensar em detalhes, por menores que sejam, revelam a identidade de um produto.

Perfeccionismo

Perfeccionismo e atenção a pequenas coisas é fundamental. Experimente, gere, teste, reúna, troque idéias. Design é função, e não forma. São com esses mantras que os produtos da Apple são gerados. Veja esse trecho:

“O pé da base de alumínio do iMac é feito de um material especial não deslizante, para que a máquina não se mexa quando a tela é inclinada. Por que um material especial? Porque [Jonathan] Ive não gosta de pés de borracha”.

Steve Jobs

Elitismo

Busque a mais alta qualidade nas pessoas, nos produtos e na publicidade. Não adianta ter a melhor publicidade com produtos ruins, ou produtos ruins feitos em desarmonia por boas pessoas. Valorize sua equipe, pois eles são uma vantagem competitiva à frente dos seus rivais.

O livro-biografia é riquíssimo em lições, como as listadas acima. Não dá para comentar tudo aqui. É ler para se impressionar e apaixonar.

update: Trecho online

 

Para turbinar o Safari

Muitos que migram para o Mac continuam usando o Firefox, graças as suas extensões maravilhosas. Confesso que sou dependente do Firebug, mas uso o Safari como meu default browser e tenho algumas coisinhas que são uma mão na roda para o desenvolvedor. Vamos lá:


Safari Tidy: é um plugin que valida as páginas de acordo com o padrão desejado e alerta o que está de errado. Bem útil e minimalista, desprezando outros validadores.


Inquisitor: o Inquisitor é um plugin, inicialmente criado para o Safari, que é um verdadeiro spotlight no browser, organizando e armazenando suas buscas. O software foi adquirido pelo Yahoo e levado a outros browsers, com suporte no Firefox e, pasmem, Internet Explorer.


Web Snapper: é um app integrado ao Safari para gerar screenshots de sites. Claro, existem dezenas de outras formas de fazer isso, só que gosto do minimalismo do aplicativo.

 

Quer conhecer mais da história da Apple?

O Mactracker é um aplicativo que reúne toda a linha de produtos da Apple. Há inclusive uma versão online do app para iPhone. Muito interessante! Além desse app, existe também o site Apple History, com um banco de dados cheio de informações e a possibilidade de download das informações.

Se você gosta de publicidade e design, deve conferir os anúncios da maçã desde os primórdios da computação, as screenshots da homepage apple.com e logicamente, as interfaces do Mac OS.

 

Backup no Mac OS

Felizes são os pessimistas… porque já fizeram backup hoje! Depois do dia que o HD do meu MacBook morreu misteriosamente (sem motivo algum!), fiquei simplesmente viciado em backup. Na busca de um software perfeito, encontrei várias opções e resolvi escrrever sobre isso. No meu caso, buscava um software que fizesse backup da minha partição onde está o Leopard e que também espelhasse minha outra partição de dados, em FAT32 (sim, FAT32, acredite!).

sync

[updated] Meu novo aplicativo favorito de backup para o Mac é Sync Professional. Faz a sincronização de uma forma bem amigável

O Time Machine resolve o problema de backup da partição do Leopard. Assim sendo, não tenho muito o que falar sobre ele, além do óbvio: USE.

O SilverKeeper é atualmente o software que estou usando para fazer backup da minha partição FAT32. É um software da Lacie, aquela marca famosa de HDs e é grátis. Além de todas essa vantagens, ele tem um log beeeem completo e dar para acompanhar, em tempo real, qual arquivo ele está copiando no momento (modo neurótico ON).

O Carbon Copy Copier é talvez o mais interessante dos softwares. Ele possui tarefas automatizadas e poderia criar uma que, ao conectar meu HD USB, executasse o backup previamente estabelecido. Só parei de usá-lo porque descobri que minha partição de destino do backup não poderia ser diferente de HFS.

O RsyncX, conforme sugerido pelo nome, é uma interface bonitinha para o Rsync. Eu estava utilizando esse software e do nada ele parou. Foi aí que o substituí pelo SilverKeeper. Mesmo assim, pode funcionar pra você.

O iBackup também é um software interessante e faz backup de uma série de coisas, como configurações dos seus aplicativos (Firefox, Adobe, por exemplo), dos seus System Preferences, além de suas pastas de usuário (Sites, Music, Movies…). Para backup de pastas, o achei bem lento.

PS: todos os softwares que uso no Mac estão no meu iUseThis.

 

Acelerando seu Textmate

Estou trabalhando em um projeto usando o Edge Rails. No Textmate, a tecla de atalho CMD + T é uma mão na roda para localizar e abrir qualquer arquivo, entretanto, com o Edge estando na pasta /vendor/rails, a busca pode se tornar lenta e encontrar, além dos seus arquivos, os arquivos do framework. Foi então que encontrei essa dica do Dr. Nic (sempre ele):

É possível mudar a forma default de como funciona os patterns para localizar os arquivos. Para isso, acione as preferências do software, escolha Advanced, depois Folder References e substitua, em Folder Pattern, o valor padrão, pelo seguinte:

!.*/(\.[^/]*|vendor/rails|doc|rails_root|CVS|log|data_dump|build|_darcs|pkg |_MTN|\{arch\}|blib|.*~\.nib|.*\.(framework|app|pbproj|pbxproj|xcode(proj)? |bundle))$ 

Caso queira reverter, o valor padrão é:

!.*/(\.[^/]*|CVS|_darcs|_MTN|\{arch\}|blib|.*~\.nib|.*\.(framework|app|pbproj|pbxproj|xcode(proj)?|bundle))$

Após isso, alguns diretórios não serão mais ‘encontrados’ e você terá uma busca mais rápida.

 

MacLimpeza Pro

Eu era um feliz dono de um MacBook branco acizentado até que resolvi experimentar o Limplex. Após utilizar métodos como borracha branca (trabalhoso) e algodão, sem sucesso na limpeza do MacBook, resolvi finalmente experimentar o produto que muita gente já utilizava, e que já estava em casa por quase 3 meses sem uso.

O produto, segundo o site do fabricante, é vendido em lojas como a Saraiva, Extra, Kalunga (onde comprei), entre outras. A aplicação é simples: basta usá-lo com a esponja que vem junto no kit em movimentos circulares. Depois, é só usar um pano branco macio para tirar o excesso do produto. Para limpar o display, usei algodão seco.

ps. Aproveitei e tentei limpar meu Nokia 1108, que estava amarelado. Não tive nenhum sucesso em obter o branco original.

 

Rails, Git, MySQL e mod_rails no Leopard

Comprou um Mac? Não sabe por onde começar? Esse é um mega-post mostrando como configurar Ruby on Rails, Git, MySQL e mod_rails no Leopard. É tudo muito-fácil!

Ruby on Rails

O Leopard já vem com Ruby e Rails já instalados. Então, a única sugestão é a de atualizar todos os gems. O comando gem list deve apontar os gems instalados. Por padrão, são:

Read more

 

Tenha vários Internet Explorer no Mac OS

Desenvolver layouts pode ser uma tarefa difícil por causa da compatibilidade entre browsers. Isso significa que nem tudo que fique funcional em um navegador vá funcionar em outro. No Mac a alternativa para testar o Internet Explorer é instalar softwares como o VMware ou Parallels, que emulam o Windows e, a partir daí, usar o I(gnorant) Explorer. Entretanto hoje existe uma alternativa para isso: o ies4osx.

ies4osx no Leopard

O ies4osx é baseado no projeto brasileiro ie4linux. O software nada mais faz do que gerar o IE para ser executado com o Wine. Além disso, ele já instala as principais fontes do Windows e até o plugin do Flash, sem grandes mágicas.

PS.: para o ie4osx é preciso ter instalado os pacotes X11 e o Darwine. O X11 está no DVD de instalação do Mac OS e o Darwine é um fork do Wine para Mac.