O desafio de crescer

Nos últimos anos, venho programando e criando sites para meia dúzia de pessoas com diferentes perfis: umas com dinheiro, outras sem; umas que precisam de um site como parte estratégica de um modelo de negócio, outras que possuem sites só porque todo mundo tem. Independentemente desses trabalhos, venho registrando meus desvaneios sobre web nesse blog e ultimamente, concentro minha imaginação e pensamentos no autosimulado.

Desde que tive a ideia de fazer o autosimulado, surgiram inúmeras possibilidades de ganhar dinheiro com o serviço. É muito complicado transformar código em dinheiro, principalmente quando não quero páginas lotadas de banners. Evoluir o modelo de negócio do aplicativo envolvendo autoescolas e/ou outras empresas é algo também muito difícil, principalmente quando se vive o desafio de morar isoladamente no interior do Brasil e não ter dinheiro para investir em algo mais elaborado. Afinal, o período da bolha .com já passou e ganhar dinheiro com Adsense e afins não é tão fácil como se parece (talvez eu precisasse de uma consultoria de um pró-blogger).

Em contra partida, é muito prazeroso ver a Internet com a função de modificador social: tenho um aplicativo gratuito que beneficia centenas de pessoas para tirar carteira de habilitação. Ver sua ideia em execução e com feedback positivo é algo extremamente gratificante. É esse movimento, de ver as coisas de um outro modo de vista, de querer deixar uma marquinha no universo, é que me faz cada vez mais aperfeiçoar e a pensar como tornar as coisas melhores.

Estou tentando descobrir o que é ser empreendedor digital e sei que a resposta não está no Google. Esse conhecimento não-linear não está em nenhuma lista de discussão e às vezes penso que devo passar por alguma ‘caminhada espiritual’ para descobrir o que é isso.

Resolvi escrever esse texto apenas para registrar que hoje, 25 de maio, ainda procuro uma resposta.

 

Leonardo

Registros de Leonardo Faria sobre desenvolvimento web

 
  • Assim como voce (sem trocadilhos), tambem ja procurei soluções para rentabilidade de Apps. Muitas idéias não sairam do papel, por não ter um plano de negócios bem definido.

    Mas creio que voce ja tem algo um projeto ativo e com um futuro promissor. Com certeza, quando a app, tiver ‘madura’ o suficiente, voce vai ter o insight de como rentabilizar a mesma.

    PS: o facebook e o twitter ainda buscam maneiras de rentabilização, viu.. voce não é o único!

    :D

  • meus 2 cents..

    ja passei por essa situacao um punhado de vezes tb, e assim como vc, nao sei a resposta. Só alguns pontos de observacao:

    – o publico brazileiro é bitolado em orkut, youtube e fotolog. Qualquer coisa fora disso é uma mudanca absurda…
    – o trafego, mesmo nos sites grandes, fica longe dos sites pequenos do ‘mundo civilizado’ – o que inviabiliza o modelo de ads (que nao vem funcionando tao bem nem mesmo la fora…
    – brazileiro nao paga mensalidade: freemium nao funciona aqui (muito menos donationware). Pra vc ter uma nocao, tenho um site onde 30% dos usuarios sao brazileiros – dos 100% de doacoes que recebi pelo site (que podem ser feitas por paypal ou cartao de credito), NENHUMA veio de brazileiros. E olha que eu nem estipulei limite de doacao (ja recebi doacao de 2 centavos de um maluco da africa!)

    a ideia de fazer apps/sites para nichos eh, talvez, uma das mais rentaveis por aqui. Voce pode tentar agregar valor ao nicho: o que seu site pode fazer pelas auto-escolas? Talvez elas possam ‘licenciar’ o simulador (i.e. botar a propria bandeira e te pagar um ‘aluguel’ por isso)? Ou quem sabe lançar servicos agregados (quiz pro orkut? divulgacao cruzada, do tipo ‘faca o teste e concorra a uma aula gratis’? joguinhos educativos estilo gta?). Só tome cuidado para nao entrar num nicho pequeno demais (ou gigantesco, mas onde nao role dinheiro: vide o caso dos jogos de celular para aparelhos diferentes do iphone). O mais importante, IMHO, é escolher o solo certo, e só ai comecar a cavar…

    @clovis o facebook está buscando maneiras de LUCRAR – a empresa já é “rentavel” de certa forma (tem uma mega receita – o problema é o mega custo de manutencao…)

  • “a ideia de fazer apps/sites para nichos eh, talvez, uma das mais rentaveis por aqui” é a teoria da Cauda Longa, excelente!

    “Estou tentando descobrir o que é ser empreendedor digital e sei que a resposta não está no Google” Boa!

    Tbem estou nessa há mais de 2 anos e estou começando a ter retorno somente agora. Tem coisas que não vai dar dinheiro, não importa. Analisei meus dados financeiros de mais de 2 anos e fiz boas conclusões. O caminho não é simples. Mas boa sorte, olho aberto e vontade pra tentar sempre! Abs

  • Outra alternativa é fazer como o twitter, não gerar renda alguma,
    dizer que tem um plano de negócios bem definido embora não possa
    mostrar isso publicamente e ganhar muito dinheiro vendendo esse
    discurso pra investidores endinheirados sem onde investir! :)

  • o problema o modelo tuíter é ter pra quem vender no Brazil, ja que a cultura de angel investing quase nao existe por aqui… :-(

  • Eu concordo com o Herval, o publico no Brasil é diferente, é uma questão cultural, então fica difícil criar um modelo baseado em doações ou assinaturas.
    Uma saída seria prover algum tipo de serviço não ao seu público final, mas sim às empresas que podem ter esse público como cliente, que no seu caso são as auto escolas. Seria legal ter um mapa com as auto escolas da região, e você poderia até mesmo oferecer uma hospedagem para a auto escola dentro do sistema, com alguma personalização, cobrando uma mensalidade ou por aluno indicado.

    Acredito que aqui no Brasil uma saída é a venda de serviços para empresas reais, com soluções que elas nem imaginariam ter, como uso de mídias socias e SEO.

    Abraço

  • Leonardo,

    Eu tive esse mesmo sentimento que você descreve neste post, há uns anos atrás, quando comecei a empreender na web. Concordo que falta esse tipo de discussão e que poucas pessoas se preocupam em rentabilizar negócios pela internet.

    Na minha opinião, isso ocorre por que o Brasil está apenas engatinhando neste mercado. São poucas empresas que possuem negócios na web e buscam SaaS.

    Eu estudo bastante este assunto e busco escrever no meu blog. Eu conclui que é *muito* mais difícil empreender um serviço web no Brasil do que nos EUA e isso é um dos motivos de estarmos atrasados. Essa dificuldade é consequência de fatores como mão-de-obra, leis, impostos e cultura.

    Eu continuo buscando maneiras de viabilizar negócios aqui no Brasil e acho bem interessante a proposta de fomentarmos o assunto em nossos blogs e listas de discussão.

    Abraço e sucesso em seus negócios